Erro
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 43

Dicas para lidar com o estresse - Parte 3

  Por Djonny Becker de Andrade

  Pscicólogo


  Surge então a pergunta: Como controlar o estresse?

  Primeira dica: cuide da alimentação. Uma alimentação balanceada, com    boa reposição dos nutrientes necessários para o nosso corpo servirá de ajuda no combate do estresse. Comer verduras frutas, nozes, castanhas, cereais constituem bons repositores. Uma banana, por exemplo, ajuda o corpo a produzir a serotonina (neurotransmissor responsável pelo alegria, bem estar), pois contém o triptofano que se constitui como a matéria prima da serotonina.

Segunda dica: Procure a cada dia descansar e relaxar. O corpo precisa a cada dia momentos de descanso para se recuperar do estresse. É importante dormir o mais cedo possível pois quanto mais horas dormidas antes da meia noite, o organismo se recupera mais eficazmente. Um outro meio de descansar é a meditação. Separar um momento do dia para refletir sobre aspectos a serem melhorados e resolvidos na vida, serve como boa proteção ao estresse. A psicoterapia ajuda muito neste processo.

Terceira dica: Pratique exercícios físicos. O exercício também é um poderoso meio de descarregarmos as tensões do dia a dia e relaxarmos. O exercício ajuda o corpo na produção de substâncias que causa bem estar como a beta endorfina e serotonina.

Quarta dica: Enfrente ou se adapte ao problema. Mantenha uma atitude positiva perante a vida. Procure ver o lado bom das coisas. É importante tentar resolver o problema estressor ou tentar se adaptar a ele. Às vezes também é importante desviar intencionalmente de pensar em coisas perturbadoras servindo como uma defesa imediata (Holmes, 1997).

 
Referências Bibliográficas
 
LIPP, Marilda E. N.. Apostila: Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp (ISSL). Itatiba:Casapsi, 2000.
HOLMES, David S.. Psicologia dos Transtornos Mentais. 2ed, Porto Alegre: Artmed, 1997.

As fases do estresse - Parte 2

Por Djonny Becker de Andrade

Psicólogo

 

Quando algum evento ou situação nos deixa estressados, a nossa parte física, emocional e social sofre alguns impactos que podemos chamar de fases. Dependendo da fase, isto pode ser extremamente prejudicial.

Segundo Marilda Lipp(2000), poderíamos dividir o estresse em quatro fases pelo menos:

Leia mais:As fases do estresse - Parte 2

O grande vilão da depressão - Parte 1

Por Djonny Becker de Andrade

Psicólogo

 

Você sabe qual é o grande vilão da depressão? Ou podemos dizer, o que aparece, segundo as pesquisas, como sendo a primeira causa de depressão?

Já ouvi algumas respostas como: “Ah, é a ansiedade” ou “São as substâncias que usamos, como álcool, drogas, etc” ou “É a falta de motivação ou de confiança em Deus”. Essas são respostas que geralmente a maioria das pessoas dão.

Leia mais:O grande vilão da depressão - Parte 1

Não deixe a ansiedade controlar você

A ansiedade tem atingido muitas pessoas ao longo dos anos, sendo o transtorno mental mais comum do século passado. O fato é que quando ficamos ansiosos, geralmente isto está relacionado com algo que está por vir, alguma expectativa que nos causa medo e temor. Isso nos tira a energia. Ficamos fatigados, tensos, apreensivos, entramos até em estado de pânico por tanto pensar naquela questão.1

Geralmente ficamos preocupados sobre alguma condenação que antecipamos, ficamos ruminando aquele assunto e por este motivo nesta fase ficamos distraídos. Tem pessoas que tem medo de um objeto, atividade ou situação específicos, como por exemplo medo aranha ou de estar em ambientes fechados.

Leia mais:Não deixe a ansiedade controlar você

Sua casa: uma terapia de grupo gratuita

Vivemos numa época em que cada vez menos dependemos uns dos outros. A tendência é o isolamento ser cada vez mais forte. Isto nos traz algumas consequências como sensação de abandono, tristeza, angústia e falta do sentimento de pertencer.

Vida corrida e compromissos que nos distraem fazendo-nos não usar o tempo para os relacionamentos; internet que nos mantém conectados com outros e nos desconectam de quem está do nosso lado fisicamente; televisão que nos faz passivos diante da vida, são alguns dos itens que podem atrapalhar este contato com os outros.

Leia mais:Sua casa: uma terapia de grupo gratuita

Dicas para sair da Depressão

Caminho da Felicidade!

Talvez você esteja pensando: “Mais um artigo sobre depressão!”. Talvez você, ou alguém que você conheça, já teve que enfrentar a depressão e tenha procurado maneiras de se livrar deste mal.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, em 2020, conforme o ranking de doenças incapacitantes, a depressão ultrapassará o diabetes, a hipertensão e a dor nas costas, perdendo apenas para os distúrbios cardíacos.

A depressão, que pode surgir de uma sensação de infelicidade transitória, reativa a perdas na vida do indivíduo normal e saudável, podendo chegar a estados de desesperança patológica com características psicóticas, é estabelecida quando se detectam alguns sintomas como:

Leia mais:Dicas para sair da Depressão

Saúde mental começa pelos pensamentos

Felicidade ao seu alcance!Muitas pessoas não sabem que elas podem modificar o padrão negativo de pensar. Crêem que aquele seu jeito de pensar é o único que podem ter. A verdade é que podemos desenvolver uma melhor maneira de pensar, com mais conteúdos mais saudáveis dos pensamentos. 

Pensamento é diferente de sentimento. “Hoje é terça-feira.”, “O carro é azul.”, “Isto é um jasmim.”, são exemplos de pensamentos. “Estou com muita raiva daquela pessoa!”, “Me sinto deprimida hoje.”, “Vibro com minha aprovação no concurso!”, são exemplos de expressão de sentimentos. Pensamento expressa uma ideia. Sentimento expressa uma emoção. Exemplos de sentimentos são: raiva, tristeza, vergonha, alegria, medo, afeto, etc.

Leia mais:Saúde mental começa pelos pensamentos

10 Hábitos para combater o stress

Hábitos saudáveis podem protegê-lo contra os efeitos nocivos do estresse.

Veja aqui uma lista de 10 hábitos saudáveis que você pode desenvolver. 

1) Converse com amigos e familiares.

Uma dose diária de amizade é um grande remédio. Ligue ou escreva para seus amigos e familiares para compartilhar seus sentimentos, esperanças e alegrias. Cultive suas amizades.

2) Envolva-se em atividade física diária.

A atividade física regular alivia a tensão física e mental. Adultos fisicamente ativos têm menor risco de depressão e perda da função mental. A atividade física pode ser uma grande fonte de prazer, também. Tente caminhar, nadar ou andar de bicicleta todos os dias 

Leia mais:10 Hábitos para combater o stress

A cura emocional pode doer

A cura ao seu alcance!No processo de resolvermos os conflitos emocionais pessoais geralmente precisamos passar pela dor da tomada de consciência do que nos aflige. Muitas situações na vida nos fazem sofrer emocionalmente. Situações devido a perdas, reais ou imaginárias, de alguém que você amava, perda do amor idealizado, perda do sentido para a vida quando você a colocava no material e vê que ele não preencheu tudo, perda porque você pode ter se anulado na vida, tendo perdido, muito ou pouco, da sua personalidade, etc.

Diante de dores emocionais o ser humano em geral procura esconder o sofrimento de si mesmo. Pode suprimi-lo, o que significa que sabe que o tem, mas evita pensar nele e lidar com ele conscientemente. Pode reprimi-lo, o que significa que o joga para o inconsciente e não tem mais acesso ao mesmo quando deseja, mas quando pode.

Leia mais:A cura emocional pode doer

Você está aqui: Home ARTIGOS Mente feliz