Erro
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 43

Insônia

Acerte seu relógio biológico!

Apesar de conseguir dormir com facilidade, algumas pessoas, após um certo tempo de sono, entram num estágio progessivamente superficial e acordam no meio da noite impossibilitadas de voltar a dormir. Outras deitam na cama e viram de uma lado para o outro durante horas, sem conseguir pegar no sono. Quando finalmente conseguem, percebem que chegou a hora de acordar.

Você dorme bem? Provavelmente, não, de acordo com os resultados de uma das maiores pesquisas brasileiras já realizadas sobre o sono. Em julho de 2006, cerca de 43 mil pessoas participaram do estudo durante a 2ª Semana Brasileira do Sono. Os resultados revelaram que 44% dos brasileiros não dormem bem, 31% têm alguma dificuldade para dormir, 52% dormem pouco e acordam cansados, 42% se sentem sonolentos durante o dia, e 28% roncam.1

Reaprenda a dormir, sem remédios!

Segundo a Associação Brasileira do Sono, “a insônia pode estar relacionada com uma causa específica: ansiedade, depressão, estresse, dor muscular e/ou articular, uso de medicamentos, ambiente inadequado (muito barulho, quente demais, colchão ruim, claridade excessiva).” Em outros casos, os culpados são: excesso de trabalho, trânsito, televisão, cinema, internet, estimulantes como cafeína e açúcar, bebidas alcoólicas, medicamentos e irregularidade no horário de deitar e acordar.

Dormir bem é absolutamente essencial para a saúde física, mental e espiritual. É durante o sono que as funções corporais e mentais são restauradas e o corpo é preparado para enfrentar o dia seguinte. Dormir mal ou pouco pode causar irritabilidade, perda de memória, depressão e dificuldade de concentração. Em adultos, descobriu-se que a falta de sono influencia negativamente na capacidade de avaliar riscos e de tomar decisões.

Além disso, quando dormimos mal por muito tempo, nosso corpo sofre alterações fisiológicas que podem estar relacionadas com a obesidade, diabetes, infartos, derrames, acidentes de trânsito e baixa qualidade de vida. Num artigo recente publicado na revista científica Sleep, pesquisadores concluíram que o sono insuficiente está relacionada com aumento da pressão arterial.2

No Brasil, a maioria das pessoas logo buscam medicamentos indutores do sono ("benzodiazepínicos"). Este tipo de medicamento apresenta rápida tolerância (a dose utilizada deixa de fazer efeito, necessitando doses cada vez mais maiores) e pode causar dependência (incapacidade de dormir sem a medicação). Além disso, o sono induzido por remédios não é fisiológico, é menos profundo e pouco restaurador.

O programa da Clínica foi planejado para reeducar o seu relógio biológico. A higiene do sono é fundamental para a melhora dos quadros de insônia, independente das causas. Contamos com tratamentos hidroterápicos para auxiliar o seu corpo a reaprender a dormir. Temos também larga experiência na retirada gradual de psicofármacos (medicamentos que atuam no Sistema Nervoso Central, como os indutores do sono) e na substituição por fitoterápicos relaxantes que não causam dependência.

Se você deseja recuperar a saúde e a vitalidade, ou mesmo melhorar o humor e a produtividade, temos o programa ideal para você.

 

Referências:

  1. Pesquisa realizada na II Semana Brasileira do Sono, em julho de 2006.
  2. Vgontznas AN, et al. Insomnia with objective short sleep duration is associated with a high risk for hypertension. Sleep. 2009;32:491.
Você está aqui: Home PROGRAMAS Doenças que tratamos Insônia