fbpx

Emagrecer envolve muito mais que a questão estética. Embora muitas pessoas procurem manter-se em forma apenas por vaidade, o fato é que aqueles quilos extras que aparecem na balança têm um grande impacto na saúde como um todo. Um exemplo é a relação perigosa que existe entre câncer e obesidade. Você já ouviu a respeito desse tema?

Se você ainda não sabe como a obesidade pode contribuir para o desenvolvimento do câncer, continue a leitura! Vamos mostrar que existem inúmeras evidências de que manter um peso saudável é uma das maneiras mais eficazes para prevenir essa doença. Acompanhe!

A incômoda relação entre câncer e obesidade

Os estudos científicos encontram uma série de limitações. Embora os pesquisadores se disponham a observar o comportamento das pessoas em relação a um determinado aspecto, eles não podem isolar a interferência de muitos outros fatores no que se refere ao desenvolvimento de um problema ou na cura de uma doença.

Portanto, mesmo que os pesquisadores estudem a relação entre o câncer e obesidade, não é possível dizer que o excesso de peso causa essa doença. É bastante comum uma única pessoa apresentar um número maior de fatores de risco, como sedentarismo, alimentação inadequada, estresse ou tabagismo, além do acúmulo de gordura.

Porém, ainda assim existem evidências consistentes de que quantidades maiores de gordura corporal estão associadas ao aumento no risco de diversos tipos de câncer. Veja os principais na ilustração a seguir:

Fonte: National Cancer Institute, UK

Motivo da relação entre obesidade e câncer

Na verdade, os pesquisadores estão descobrindo uma série de mecanismos que fazem da obesidade um fator de risco para o surgimento do câncer. Alguns deles são:

Inflamação crônica

Frequentemente, as pessoas obesas apresentam um nível de inflamação no organismo que, embora baixo, é crônico. Por isso, o DNA é danificado, o que leva ao surgimento de células anormais que se reproduzem desorganizadamente, gerando tumores tumores.

Algumas inflamações locais mostram uma relação ainda mais direta com o surgimento de tumores. Entre os exemplos, estão a inflamação causada pelo refluxo gastroesofágico, que frequentemente está relacionado ao desenvolvimento do adenocarcinoma esofágico. A inflamação na vesícula é outra condição que pode desencadear um câncer.

Produção excessiva de hormônios

O tecido adiposo, que é a gordura presente no organismo, não causa apenas um volume em determinadas partes do corpo. Ele também funciona como uma verdadeira usina que produz uma série de substâncias, inclusive hormônios. Um deles, o estrogênio, é liberado em excesso nessas condições. Dessa forma, aumentam os riscos de câncer de mama, endométrio, ovário e alguns outros.

Aumento nos níveis de insulina

Outro processo que evidencia a relação entre câncer e obesidade é o aumento dos níveis de insulina em pessoas que estão acima do peso. Outra substância presente em maior quantidade em obesos é o IGF-1,ou fator de crescimento semelhante à insulina tipo 1.
O aumento na quantidade dessas substâncias promove o crescimento de tumores no cólon, rins, próstata e no endométrio. Portanto, esse é mais um mecanismo que estreita a relação entre câncer e obesidade.


Produção desequilibrada de substâncias que favorecem ou inibem o câncer

Existem duas substâncias muito importantes quando se fala em prevenção do câncer. Uma delas é a leptina, que promove a proliferação das células e consequentemente, dos tumores. Exames de sangue mostram que sua quantidade aumenta em pessoas obesas, pois é produzida pelas células de gordura.

Por outro lado, em pessoas obesas a incidência da adiponectina é menor que naquelas que mantêm o peso sob controle. Esse hormônio proteico regula uma série de processos metabólicos, como a regulação da glicemia. Portanto, quem tem acúmulo de gordura no organismo reduz a produção dessa substância, que tem um efeito antiproliferativo.

O perigo de não ficar atento à relação entre câncer e obesidade

Recentemente, o governo da Inglaterra lançou uma campanha de conscientização sobre os riscos da relação entre câncer e obesidade. Essa iniciativa surgiu depois que, segundo os dados coletados pelos órgãos de saúde, percebeu-se que os cânceres de intestino, rins, ovários e fígado estavam mais relacionados ao excesso de peso do que ao fumo.

Embora o governo inglês reconheça que o fumo continua sendo um fator importante para o surgimento do câncer, o número de pessoas obesas supera a de fumantes na proporção de 2 para 1. Portanto, naquele país, milhões de pessoas colocam sua saúde em risco devido ao excesso de peso, causando uma grande preocupação nas autoridades.

Com o objetivo de alertar a população, o governo inglês lançou uma campanha bastante criativa. Outdoors foram espalhados nas cidades para chamar a atenção das pessoas para o fato de que a obesidade pode ser tão perigosa quanto o fumo.

Câncer e obesidade

Fonte: BBC

Outros estudos relacionaram o Índice de Massa Corporal (IMC) aos casos de câncer. Eles apontaram que a ocorrência de câncer relacionado à obesidade varia bastante de acordo com os órgãos afetados. No entanto, cerca de 54% dos casos de câncer de vesícula estão relacionados ao excesso de peso em mulheres. Já nos homens, a obesidade é o principal fator causador de adenocarcinoma esofágico em homens.

Como a relação entre câncer e obesidade pode ser uma boa notícia

Apesar dessas estatísticas preocupantes, sempre reforçamos aqui que essas informações trazem esperança. Elas significam que, ao contrário do que as pessoas imaginam, uma predisposição genética para o câncer não significa que a pessoa não tem a possibilidade de fugir desse destino.

Como destacamos aqui, os estudos mais recentes têm mostrado que uma série de fatores causadores do câncer estão sob nosso controle. Ao contrário da predisposição genética, que não podemos alterar, temos  a possibilidade de adotar um estilo de vida saudável, que tem o potencial de desativar mecanismos causadores dessa doença.

Nesse sentido, o controle de peso é uma das principais medidas para garantir uma vida longeva e saudável. Eliminar aqueles quilos a mais deixa de ser uma questão estética e se torna uma medida efetiva de prevenção do câncer.

E você, está acima do peso? Gostaria de emagrecer de vez e se livrar dos riscos da obesidade? Continue aqui no site e descubra 6 dicas para eliminar a gordura corporal, restaurar a saúde e evitar uma série de doenças.