fbpx

Muito se tem falado sobre a influência dos genes no surgimento de vários tipos de câncer. No entanto, diversos estudos recentes têm mostrado que essa doença pode ser inibida ou desencadeada a partir dos nossos hábitos, ou seja, do estilo de vida. Por isso, ao falarmos sobre o câncer de mama, não poderíamos deixar de abordar os fatores que contribuem para prevenir esse problema, independentemente de nossa herança genética.

Afinal, o raciocínio é simples: existem fatores que predispõem ao câncer e que não podemos controlar. Não temos qualquer domínio sobre os genes que recebemos dos nossos antepassados, por exemplo. No entanto, adotar hábitos saudáveis é uma decisão que está em nossas mãos, e que pode contribuir para conquistarmos a longevidade e a qualidade de vida.

Neste artigo, falaremos sobre o sedentarismo e o câncer de mama. Então, continue a leitura para saber como sua decisão de movimentar-se diariamente pode contribuir para evitar ou mesmo superar a doença. Acompanhe!

A relação entre sedentarismo e câncer de mama

Recentemente, uma pesquisa que aborda a relação entre o sedentarismo e o câncer de mama foi publicada em uma das principais revistas científicas do mundo, a Nature. O estudo fez um levantamento sobre as mulheres brasileiras que tiveram a doença entre 1990 e 2015. Portanto, trata-se de um período extenso.

Em seguida, os pesquisadores usaram os índices de sedentarismo no Brasil e conseguiram determinar a probabilidade de uma mulher que não se exercita ter câncer de mama. Então, eles compararam esse número com a incidência da doença entre mulheres fisicamente ativas. O resultado foi surpreendente,

Segundo os pesquisadores, o sedentarismo foi responsável por pelo menos 12% das mortes causadas por câncer de mama no Brasil, entre 1990 e 2015. Embora outros fatores de risco (uso do álcool, sobrepeso, dieta rica em açúcar) tenham contribuído para esse índice de mortalidade, a falta de exercícios foi o principal causador dessas fatalidades.

Para ter uma ideia do impacto desse número, vamos analisar uma tabela que mostra a quantidade de mulheres que morreram devido ao câncer de mama nos últimos três anos:

Câncer de mama no Brasil mortalidade

Fontes: https://www.inca.gov.br/numeros-de-cancer / https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-mama / https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files/media/document/a_situacao_ca_mama_brasil_2019.pdf

 

Isso significa que, apenas nos últimos três anos, a prática regular de atividade física teria poupado 5.969 mortes de mulheres no Brasil.

Como os exercícios previnem o câncer de mama

O exercício físico atua na prevenção do câncer de mama de diversas formas. Os principais fatores que contribuem para esse resultado positivo são:

Redução da gordura corporal

O tecido adiposo presente no organismo não contém apenas células de gordura. Há diversos tipos celulares abrigados onde a gordura se acumula, como adipócitos, pré-adipócitos, macrófagos, fibroblastos e células endoteliais. O resultado é uma verdadeira usina de produção de hormônios e mediadores químicos, sendo que uma dessas substâncias é o estrogênio.

A produção excessiva de estrogênio, especialmente no período em que a mulher deveria liberá-los em menor quantidade (menopausa), pode levar ao surgimento de tumores. Isso acontece porque existem tecidos muito sensíveis à ação desse hormônio. À medida em que ele provoca a mitogênese, gera uma multiplicação celular desordenada.

Existem ainda outras razões que fazem da obesidade um fator de risco para o desenvolvimento do câncer de mama. Por isso, só por reduzir a gordura corporal, o exercício já é um fator de prevenção aos cânceres em geral, incluindo o de mama. Esse é um bom motivo para deixar o sofá um pouco de lado e adotar o hábito de se movimentar diariamente.

Melhora no sistema imunológico

Além de reduzir a possibilidade de desenvolvimento de tumores, o exercício também prepara o organismo para enfrentar essa e outras doenças. Isso acontece porque a atividade física promove o aumento dos linfócitos, ou seja, as células conhecidas como natural killers.

O papel dessas natural killers é identificar e destruir células tumorais ou infectadas por vírus no organismo. Portanto, ao praticar atividade física diariamente nosso organismo se prepara para resistir a esses ataques. A própria redução do estresse, que também é um dos benefícios do exercício, contribui para fortalecer o sistema imunológico.

Controle dos níveis de insulina

Ainda de acordo com o estudo publicado na revista Nature, o exercício previne o câncer de mama à medida em que reduz os níveis de insulina no corpo e também a resistência à insulina. Dessa forma, a atividade física evita a hiperinsulinemia.

A hiperinsulinemia está associada especialmente ao desenvolvimento do câncer de cólon, pâncreas, endométrio e mamas. Ela promove a síntese e a atividade de um fator de crescimento semelhante à insulina, o IGF-1. As células pré-neoplásicas possuem receptores para essa substância. Portanto, evitar sua produção previne o surgimento e aumento dos tumores.


Redução do quadro inflamatório

O exercício tem ainda outro papel importante na prevenção ao câncer de mama. Ele inibe um processo inflamatório crônico, geralmente associado ao tecido adiposo (gorduroso).

Quando o corpo apresenta esse estado inflamatório, ocorre a produção de moléculas pró-inflamatórias no tecido adiposo. Diante dessas condições, as chances de uma multiplicação celular desordenada se tornam maiores. Além disso, as células de gordura (adipócitos) secretam determinadas adipocinas que favorecem a formação de metástases. Portanto, elas agravam o quadro de quem já desenvolveu a doença.

Prevenção do câncer de mama por meio dos exercícios

Como você pode perceber, o exercício é um fator muito importante para a prevenção e superação do câncer de mama. No entanto, é importante destacar que a saúde plena vem de um estilo de vida adequado, que envolve diversos aspectos, e não só a prática de atividade física. É essencial cuidar também da alimentação, gerenciamento do estresse, repouso, ingestão de água, entre outros hábitos fundamentais para a qualidade de vida.

Porém, neste artigo estamos destacando a importância da atividade física na prevenção ao câncer de mama. Para obter esses benefícios que citamos nos últimos tópicos, não é necessário aderir a programas de exercícios complicados. A recomendação médica é praticar 150 minutos de atividades moderadas por semana. Isso significa que bastam 5 sessões de 30 minutos.

Mas o que são as atividades físicas moderadas? Pedalar, caminhar rápido, praticar hidroginástica, participar de jogos recreativos como o vôlei são alguns exemplos. Portanto, escolha uma opção que se encaixe na sua rotina, que se ajuste às suas preferências e comece a se movimentar. Essa pequena decisão pode fazer uma grande diferença em sua vida.

Entendeu qual é a relação entre o sedentarismo e câncer de mama? Quer saber mais sobre o assunto? Inscreva-se em nossa newsletter para ter acesso a artigos sobre esse e outros temas importantes para sua saúde.