fbpx

Familiares, amigos, vizinhos, colegas de trabalho ou parentes — todos nós, de alguma forma, tivemos ou conhecemos alguém que sofreu a perda de pessoas queridas recentemente. Ao analisarmos esses casos, percebemos um ponto em comum: a maior parte ocorreu devido às consequências de doenças crônicas, cada vez mais comuns em nossa sociedade.

E essa não apenas a nossa percepção. Segundo a Organização Mundial da Saúde, as doenças crônicas são responsáveis por 63% das mortes em todo o mundo. Essa porcentagem equivale a 36 milhões de pessoas anualmente.

Mas o que é uma doença crônica? Quais são as principais? Neste artigo, trouxemos essas respostas e mostraremos por que elas preocupam tantos especialistas — e deveriam preocupar você, também. Veja a seguir!

O que são doenças crônicas?

Existem dois tipos de doenças crônicas. Veja qual é a principal diferença entre elas:

Doenças crônicas de causa infecciosa

O primeiro grupo, formado pelas doenças crônicas infecciosas, é composto por patologias causadas por vírus e parasitas e que possuem uma duração prolongada, superior a 3 meses. O exemplo mais conhecido é a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), mas também há outros casos, como o herpes zóster, tuberculose etc.

Doenças crônicas não transmissíveis

Embora a definição possa variar de acordo com as fontes, as Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) são aquelas que, além de não serem causadas por microorganismos (vírus, bactérias, parasitas), apresentam um desenvolvimento lento e longa duração. Na maioria das vezes, o indivíduo convive com essa condição por anos antes de sua morte.

As doenças crônicas muitas vezes começam de forma silenciosa. Elas podem não dar sintomas iniciais, mas no decorrer do tempo causam uma série de transtornos à vida da pessoa, comprometendo a qualidade de vida. Por serem as principais causas de morte, é a respeito delas que falaremos no restante deste artigo.

principais doenças crônicas

Quais são a causas das DCNTs?

As doenças crônicas não têm uma causa única. Na maioria das vezes, elas surgem como resultado das inúmeras agressões que o organismo sofre ao longo dos anos. Alimentação inadequada, obesidade, uso de álcool, cigarro e outras drogas, sedentarismo e falta de descanso são os principais fatores que levam ao desenvolvimento dessas patologias.

Existem também fatores genéticos e ambientais que contribuem para o surgimento dessas doenças. Porém, eles não são um fator determinante. Como sempre destacamos, a predisposição genética é ativada ou desativada pelo nosso estilo de vida. Portanto, é nosso papel adotar hábitos que dificultam a manifestação desses genes.

Por que você deve se preocupar com as doenças crônicas?

Existem diversas razões pelas quais as doenças crônicas estão se tornando uma grande preocupação para médicos, governos e organizações de saúde. Entenda como elas afetam a população:

1. As doenças crônicas são as principais causas de morte

No mundo inteiro, as DCNTs são responsáveis por 63% das mortes. Elas são ainda mais comuns nos países desenvolvidos, como os Estados Unidos, e estão aumentando nos países em desenvolvimento. Na região das Américas e Caribe, que inclui o Brasil, elas causam 75% das mortes, sendo que só os problemas cardiovasculares, como infartos e AVCs, levam a 30% dos óbitos.

2. As doenças crônicas prejudicam a qualidade de vida

Dores, mal-estar, perda da mobilidade, incapacidade para realizar as tarefas do dia a dia, amputações — esses são apenas alguns dos transtornos que as doenças crônicas causam às pessoas. Se você olhar à sua volta, provavelmente perceberá que, entre seus amigos e familiares, a maior parte do sofrimento devido a problemas de saúde é causado por patologias como câncer, depressão, diabetes, hipertensão arterial, colesterol alto, artrite e artrose.

3. Não há medicamentos que curam a maioria das DCNTs

Para a maioria das DCNTs, os médicos sequer prometem a cura. Muitas vezes, os remédios que eles prescrevem promovem apenas o controle das doenças. Portanto, é necessário fazer todo o esforço possível para preveni-las, evitando a exposição prolongada à medicação e seus efeitos colaterais.

4. As doenças crônicas estão aumentando

O percentual da população com doenças crônicas está aumentando de forma alarmante. Um exemplo é o diabetes, que cresceu 61,8% entre 2008 e 2018. A previsão é de que o número de diabéticos entre 20 e 79 anos seja de 642 milhões de pessoas no ano de 2040, sendo que hoje esse número é de aproximadamente 420 milhões.

Casos de mortes por infarto agudo no miocárdio tiveram um crescimento de 33% entre 2001 e 2010. As doenças hipertensivas, nesse mesmo período, tiveram um aumento de 87%. Portanto, como você pode perceber, as DCNTs são extremamente sérias e realmente exigem ações efetivas de prevenção.

Hoje, nos Estados Unidos, 88% dos americanos a partir de 65 anos têm pelo menos uma doença crônica. No Brasil, a situação não é tão diferente, especialmente nos estados do Sul e Sudeste. A confirmação das previsões de crescimento das DCNTs praticamente tornaria nossa população idosa completamente doente.


5. O custo de tratamento das DCNTs é insustentável

Uma pessoa pode desenvolver uma DCNT por anos. Embora não seja possível curar a maioria delas por meio dos medicamentos, o tratamento convencional precisa dos remédios para controle dessas patologias. O tratamento se estende ao longo da vida, causando um impacto econômico considerável para a família e para o Estado.

No Brasil, o envelhecimento da população e o aumento das DCNTs tornará o sistema de saúde insustentável, mas essa não é uma realidade apenas do nosso país. Nos Estados Unidos, há institutos que alertam não só para a impossibilidade de cobrir essas despesas a longo prazo, mas também quanto ao impacto dessas doenças na economia em geral.

Como prevenir as DCNTs?

Como vimos, as principais causas das DCNTs são as agressões que o organismo sofre quando mantemos um estilo de vida incompatível com as nossas reais necessidades. Sedentarismo, alimentação inadequada, tabagismo, consumo de drogas e bebidas alcoólicas são os principais fatores causadores dessas patologias.

Portanto, a prevenção das doenças crônicas, e até mesmo sua reversão, depende da conformidade aos princípios que regem o organismo. Nós chamamos esses fatores de promoção da saúde de 8 Remédios Naturais. Como uma máquina muito bem planejada, nosso corpo precisa apenas de:

  • alimentação saudável;
  • ingestão diária de água;
  • ar puro;
  • exercício físico;
  • repouso diário noturno e semanal;
  • temperança;
  • exposição moderada ao sol.

Além desses fatores físicos, o bem-estar mental também tem um papel importante na prevenção dessas doenças. Ele é obtido com a combinação entre os remédios naturais e um sentimento de gratidão, de alegria e de uma visão positiva da vida. Estudos mostram que o desenvolvimento de um relacionamento com Deus favorece o cultivo desse tipo de atitude, o que contribui para fortalecer a saúde como um todo.

E você, também tem doenças crônicas? Depende do uso contínuo de medicamentos para controlá-las? Conhece alguém da sua família que sofre com elas? Quer conhecer melhor esses 8 princípios que impedem as agressões ao organismo e revertem até mesmo esses quadros clínicos? Então, continue aqui no site e confira nosso artigo completo sobre os Remédios Naturais.